quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Minhas férias organizada !


Todo mundo gosta de viajar. Viajar pode ser uma experiência muito rica e revigorante.
Quando eu ainda não tinha aprendido a usar bem o dinheiro, viajar era uma das causas que contribuíam para o endividamento.
Hoje, Aprendi a organizar as minhas férias e viajar sem que isso me traga qualquer prejuízo.
O que eu faço? 
Me antecipo.
Faço contas.
Abro mão de algumas coisas, mas:

Não abro mão de voltar das férias e continuar a minha rotina normalmente, cumprindo todas as minhas obrigações financeiras.

Não faço contas “de cabeça”. Tudo é colocado “na ponta do lápis”. Isso evita muitas surpresas desagradáveis.

Decido o lugar para onde vou.





Se for de avião, começo uns 7 meses antes a pesquisa do preço da passagem (para ter uma margem de valores).
Alugo carro pela internet com antecedência, pois é muito mais barato do que alugar direto no balcão. Escolho o carro que eu consigo pagar, não me preocupo com luxo nessa hora.
Estabeleço um valor para gastar com hospedagem, alimentação e gastos extras (compras).
Calculo o valor aproximado do combustível.
Faço um roteiro dos passeios, com uma previsão de gastos.
Organizo tudo em uma planilha, para saber o quanto eu tenho e o quanto irei gastar.


Dá um pouco de trabalho fazer todo esse planejamento, mas dá muito menos trabalho do que voltar de férias endividado.

Minhas férias foram incríveis
Viajei para o lugar que escolhi, fiz tudo o que desejei.

Não importa se é de avião,carro ou ônibus. Não importa se é hotel, casa de parentes, resort etc. 

O importante é não :“querer apenas ser feliz”, “deixar ver no que vai dar” “depois a gente vê como paga”


O bom é ser responsável, aproveitar bem as férias e viver com o mínimo de tranquilidade.

Se quiser, pode contar a sua experiência de viagem.

Beijo Grande!
Continue Reading...

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Envolvendo a criança nas decisões financeiras : Material Escolar

Material escolar! Quem nunca!?

Eu tomo muito cuidado, na hora de comprar o material escolar.
Sempre me incomodou os noticiários de telejornal, no mês de janeiro com aquelas entrevistas obvias de aumento de preço e lojas lotadas.

Então eu procuro, comprar com certa antecedência por uma questão de organização, conforto e economia.
Mas este ano eu notei que precisaria comprar poucos itens da lista, porque a maioria seria reaproveitado e por esta razão não antecipei a compra. Acabei comprando em uma loja pequena perto da minha casa. E sinceramente me arrependi, por que mesmo comprando poucos itens, acho que a conta ficou alta. 

Como minha filha já tem 7 anos e meio, achei que seria bom ela participar de todo o processo  que envolve a compra e a organização do material.

Acredito que esta participação contribui para a criança ter contato  com o mundo das finanças, porque quando falamos em dinheiro, falamos de:

Consciência
Participação
Colaboração
Realização
Conservação entre tantas outras coisas.

Olhamos juntas toda a lista de material e ela mesma reconheceu os itens que poderiam ser reaproveitados.



Fez um único pedido: Que fossem comprados lápis de cor novos,( mesmo alguns ainda estando bons). Justificou dizendo que as cores preferidas estavam pequenas. Concordei.

Tomou a iniciativa de fazer as "etiquetas" manualmente . com suas póprias mãos. ,  :)





















Foi muito bom perceber que ela está desenvolvendo características como :

Iniciativa, criatividade, comprometimento, persistência...e gente, isso tem tuuuuuudo a ver com dinheiro.





















Lavou os estojos e ficaram novinhos em folha.

Ensinar a criança a conservar o material escolar é ótimo para o desenvolvimento da educação financeira. Se não precisa comprar coisas novas, sobra mais dinhierinho pra fazer outras coisas bem divertidas.
Afinal a ideia não é mostrar que não se tem dinheiro para comprar os "tão desejados materiais" mas , que se não há necessidade, podemos enriquecer o cofrinho para compras mais legais.

Nunca dei muita importância para a necessidade de itens com personagens , então compro papel de presente e encapo os cadernos.
Como ela reage? Com naturalidade. Sempre explico que os personagens estão nos desenhos para serem assistidos e não precisam estar em todos os lugares (é claro que ela tem algumas coisas com personagens, mas quando encarece muito, eu não compro mesmo).

Envolva seus filhos e familiares nas decisões do dia a dia.  Assim, a gente vai preparando eles para a vida.

Os pais e responsáveis , tem boa intenção em entregar tudo lindo pro seu filho, porém nem sempre isso ajuda no desenvolvimento deles. 

Bora falar de dinheiro desde já.

Essa foi a minha experiência, se vc tem alguma, eu gostaria muito de saber .

Volte sempre. Um abraço! 














Continue Reading...

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Criança e Dinheiro: Venda de objetos Parte II

No post anterior, eu contei como foi a venda de objetos da minha filha no brechó.Criança e Dinheiro: Venda de Objetos. Parte I  Ela tem 7 anos e começou aprender a fazer contas há pouco tempo, o que é muito legal porque agora, o contato com o dinheiro fica mais próximo dela e é possível ensinar alguns conceitos.

Pois bem, o valor da venda foi de R$ 45,00, sendo que, 10% não será gasto. Este foi o maior ensinamento : Guardar 10% de todo o valor que receber, para fazer o dinheiro multiplicar e não apenas consumir. Já dá pra ir ensinando deste pequeno.

Ela já sabia o que queria comprar. ( ir as compras com o objetivo certo é uma excelente atitude no uso do dinheiro).

Entendeu que só podia gastar o valor que tinha em mãos, e que se quisesse algo mais caro, ia ter que esperar até que tivesse a quantia necessária (esperar. Ah! esperar, quem consegue? !)

Visitamos três lojas para ver se encontrávamos um preço melhor ( pesquisar é uma prática fundamental na hora de comprar) e conversamos sobre isso.

Ela olhou alguns brinquedos parecidos com o queria mas que estavam bem mais caros. Encarou isso com naturalidade, dizendo: Este não dá pra comprar (ufa!!!, poderia ter rolado um stress).

As lojas estavam todas com o mesmo preço. O que influenciou na decisão por uma, foi a quantidade de opções (cores, tamanho...).

 Decidiu o que queria.


Acertou qual tipo de conta deveria fazer. Subtrair o valor do brinquedo, pelo valor que tinha em mãos  ( não há problema   em fazer uma conta na hora em que se está comprando, isto não tem nada a ver com pobreza e sim com controle do dinheiro).



Obaaaa! Sobrou um graninha! Dá pra levar mais alguma coisa! Aquele sorriso! :).



Vamos pagar?! Aquela satisfação.




Foi assim.

De tudo o que aconteceu, o que eu mais gostei, foi ver a percepção de valor. Vê-la olhando para vários brinquedos que a agradavam ,entendendo que deveria comprar apenas o que estava  dentro do valor que ela possuía, foi muito bom!



Não acho tão bom (sempre) dizer a uma criança que ela só pode comprar isto ou aquilo, e que valores mais altos, ela não pode... mas isso... fica pra outro dia, tá?

Gostou do texto? Compartilha ! Vamos espalhar coisas boas e úteis por aí.

Que bom que você veio, volte sempre e traga mais amigos!






Continue Reading...

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Criança e Dinheiro: Venda de Objetos


Tenho uma filha de 7 anos. Desde que ela nasceu, de várias maneiras ensinei valores sobre o dinheiro para ela (porque você sabe né?! Que ensinamos muita coisa  sem usar palavras).- outra hora eu falo sobre isso- .
Este ano ela aprendeu a fazer contas e o contato com o dinheiro aumentou.
Já faz algum tempo que eu tenho o hábito de vender objetos que não quero mais. Eu vendo tudo em brechós e já paguei muita conta fazendo isso #ficadica.
Hoje felizmente não preciso mais do dinheiro para pagar contas, mas , continuo vendendo, inclusive roupas e brinquedos da minha filha.
Esta semana fomos ao brechó pegar o dinheiro dos objetos que foram vendidos. Ainda tem coisas lá , e vai entrar mais dinheirinho pra pequena.
Recebemos R$ 45,00 reais (2 vestidos e uma boneca).


Mesmo sem ter quase nenhuma noção sobre valores (o que neste momento não tem muita importância), aproveito para ensinar alguns conceitos.
O mais importante aqui foi o conceito (riquíssimooooo e nem tão fácil) de guardar 10% de todo o dinheiro que entra. 
Então, R$ 4,50 foram pro cofrinho e não serão gastos .

É pouco? Eu não acho. A idéia é ensinar que o dinheiro não deve ser todo consumido mas que também pode ser multiplicado.
Conversamos e fui explicando tudo pra ela. Foi muito bom.

Ainda não sabemos como vamos usar os R$ 40,50 . Assim que soubermos a gente conta aqui😉

Também é nosso hábito fazer doações. Parte doamos, parte vendemos. 
Que bom que você veio, volte mais vezes e traga mais amigos.

Vamos perder o medo de falar de dinheiro. Faz parte da vida .

Um abraço!
Continue Reading...

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Organização Financeira x Organização da Vida





Outro dia me ocorreu o seguinte questionamento: É possível ter uma vida financeira desorganizada e ser organizado em outras áreas da vida?

É possível ter uma casa bem arrumada, com manutenção em ordem, paredes regularmente pintadas, ter as coisas minimamente em seus lugares, e na hora de cuidar das finanças , está tudo  na maior confusão?

É possível, uma pessoa manter a manutenção do carro em ordem, e ter uma vida financeira desregrada?


Ponto De Interrogação, Pergunta


Dentre tantas comparações que podemos fazer sobre ser organizado nesta ou naquela área e nas finanças ser uma negação ter dificuldades (rsrsrs), eu tenho quase certeza que de que:

A desorganização está presente em vários aspectos da vida e as finanças é apenas um reflexo de todo o resto.

Na minha vida foi assim que aconteceu. Eu era TOTALMENTE DESORGANIZADA. Daquelas pessoas que até tinha orgulho e justificava este estilo de vida.

Comecei a mudar pelo dinheiro e daí fui mudando todo o resto.

O que antes pra mim era algo totalmente natural e compreensivo, tornou-se um assombro, algo que me incomodava , atrapalhava e entristecia.

Eu comecei a me dar conta de que estava perdendo muita coisa. Desperdiçando as minhas virtudes e a minha capacidade de cuidar da própria vida.

Então, podemos concluir que o problema não é apenas o dinheiro. E pensar que:
O que a gente faz como o dinheiro é o que a gente faz com a própria vida.

O bom, é que podemos melhorar, mudar, aprender, crescer.

Vamos lá então. Podemos começar pelas finanças? Pode ser um bom começo!

Um abraço! Volte sempre, e traga mais amigos





Continue Reading...

domingo, 15 de maio de 2016

Dicas de como sair das dívidas



Continuo falando no canal do youtube, sobre dicas e informações relacionadas às dívidas.
É preciso pensar e analisar para onde estamos destinando o nosso rico dinheirinho .
Chega de desculpas do tipo: Não seio onde foi parar o MEU dinheiro. 
Não se esqueça de que o dinheiro é SEU. E é você quem dá a ele um destino.
Bora sair das dívidas!
Clica aí! Bom vídeo. Espero que gostem!
Abraço!


Continue Reading...

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Canal no YouTube

Olá Pessoal,

Depois de um tempão distante, volto com um canal no you tube. Fiz o meu primeiro vídeo dando uma dica preciosa de como sair das dívidas.
Dá uma olhadinha !
Abraço!
Continue Reading...

Blogroll

About